Cientistas da Universidade de Zurique descobriram que as abelhas ajudam as flores a crescer mais e a ser mais fragrantes.



Cientistas da Universidade de Zurique descobriram que as abelhas ajudam as flores a crescer mais e a ser mais perfumadas. Isto acontece porque as plantas evoluem de formas diferentes dependendo de quem as poliniza.

Para o estudo, Florian Schiestl, professor da Universidade de Zurique, e Daniel Gervasi, doutorando da mesma Universidade, utilizaram colza (uma espécie de couve) e dividiram-na em três grupos: um exclusivamente polinizado por abelhões, outro apenas por moscas-das-flores e um terceiro à mão.

Os resultados que observaram “divergiram muito”, conta Florian Schiestl. A colza polinizada pelos abelhões cresceu mais 7,6 cm do que a polinizada pelas moscas-das-flores, em apenas nove gerações. Para além disso, as plantas também floriram um dia mais cedo e possuíam o dobro da fragrância.


As plantas polinizadas por abelhões (à esquerda) são maiores do que as polinizadas por moscas-das-flores | Foto: UZH

“A suposição tradicional é de que a evolução é um processo lento”, explica o professor. “[Mas] uma alteração na composição dos insetos polinizadores nos habitats naturais pode desencadear uma rápida transformação evolucionária nas plantas.”

Esta transformação sucede devido às diferentes preferências dos animais. Como as abelhas gostam de plantas mais altas e fragrantes, procuram-nas e polinizam-nas com mais frequência do que às outras variedades, o que faz com que as plantas mais altas e com mais cheiro prosperem.

Por outro lado, o facto de as moscas-das-flores serem polinizadores menos eficientes faz com que aumente a autopolinização nas plantas, o que atrasa o aparecimento de novas características. Essencialmente, as plantas têm de se “ajudar a si próprias”, se o polinizador transferir uma quantidade de pólen insuficiente.


Mosca-das-flores

Segundo os investigadores, estes resultados podem levar a outras conclusões, especialmente se se tiver em consideração o facto de que as populações de alguns polinizadores, como das borboletas e das abelhas, têm sofrido um declínio acentuado nas últimas décadas, devido ao uso de pesticidas e à perda de habitat, entre outros factores. Sendo assim, seria concebível, diz Florian Schiestl, que as plantas passassem a depender cada vez mais das moscas-das-flores como polinizadores, o que se traduziria na evolução de plantas menos fragrantes e num aumento da autopolinização. A longo prazo, isto reduziria a diversidade genética das plantas, deixando-as mais susceptíveis a doenças.

Quer ajudar as abelhas? Eis algumas ideias do que pode fazer

“Todos podemos fazer mais para ajudar [as abelhas] – como cultivar plantas de que elas gostem, evitar pesticidas e tornar os jardins e outros espaços em habitats que as respeitem”, disse Paul de Zylva, da organização Friends of the Earth, ao The Telegraph.

As plantas floríferas de coloração azul ou roxa são preferíveis porque são as que as abelhas veem com maior facilidade. Como cada espécie tem preferências diferentes relativamente ao formato das flores, plantar uma mistura de alfazema, urze, verbena, girassóis, milefólio, manjerona, bocas-de-lobo e erysimum atrairá as várias espécies. As árvores, os arbustos, a fruta, os vegetais, os bolbos de flores de Primavera e Outono também são ótimas escolhas.


Experimente plantar alfazema, urze, verbena, girassóis, milefólio, manjerona, bocas-de-lobo e erysimum

Se tem um relvado, experimente deixar os dentes-de-leão e os trevos florescer para as abelhas e reservar uma zona com madeira e folhas velhas para lhes servir de abrigo. Se quiser, também pode criar um hotel para as abelhas solitárias.
Evite utilizar pesticidas químicos, especialmente neonicotinóides.

“Qualquer pessoa pode ajudar as nossas abelhas ameaçadas, nesta primavera. Estudos já mostraram que as nossas vilas e cidades podem ser locais fantásticos para as abelhas – se as plantas certas forem cultivadas nos parques e espaços verdes”, explica Simon Potts, professor da Universidade de Reading.

“Com um pouco de jardinagem amiga das abelhas e um pouco mais de tolerância para com as ervas daninhas, podemos todos ajudar a assegurar que as nossas ruas e bairros dão as boas-vindas a estes insetos incríveis.”

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.