O Parlamento Europeu aprovou uma resolução que pretende melhorar as condições dos coelhos criados na UE e pôr fim à utilização de gaiolas.



O Parlamento Europeu aprovou uma resolução, com 410 votos a favor e 205 contra, que pretende melhorar as condições dos milhões de coelhos criados na Europa.

"É imperativo eliminar progressivamente as gaiolas em bateria e de ambiente estéril na criação de coelhos e fazer a conversão para métodos alternativos de cunicultura, como sistemas de coelheiras que forneçam espaço suficiente por coelho e em que os animais possam ser mantidos em grupos", defende o eurodeputado alemão Stefan Eck, no seu relatório.

A União Europeia é o maior produtor de coelhos do mundo, com cerca de 340 milhões destes animais abatidos pela sua carne, todos os anos. “E, atualmente, não existem disposições legais destinadas a protegê-los", conta Aideen Yourell da organização Irish Council Against Blood Sports. "Isto significa que 98% dos coelhos de criação são mantidos em jaulas de metal pouco maiores do que uma folha A4. A organização Animal Equality declarou que tem documentado repetidas vezes o sofrimento dos coelhos em gaiolas em Espanha e na Itália – onde estão localizadas 60% de todas as quintas de criação de coelhos na UE.”

“Investigamos 70 quintas e quatro matadouros, só em Espanha, e descobrimos, em cada um deles, indícios de extrema crueldade. Os nossos investigadores viram coelhos com feridas abertas e até coelhos cujas orelhas foram arrancadas pelos seus companheiros stressados. Devido às condições não naturais e espaços sobrelotados, até 30% dos coelhos de criação morrem ou são mortos mesmo antes de chegarem ao matadouro.” Os investigadores também denunciaram casos de coelhos mortos e em decomposição dentro de gaiolas com outros animais vivos.

“Uma das mais cruéis práticas agrícolas já inventadas, o confinamento de animais em gaiolas minúsculas durante todas as suas vidas, poderá, em breve, estar obsoleta na Europa”, disse Toni Shephard, diretor executivo da Animal Equality UK.



Com esta votação, o Parlamento Europeu instruiu a Comissão a redigir uma legislação que defina normas mínimas de proteção dos coelhos de criação – um processo que deverá demorar vários meses.

O eurodeputado Stefan Eck felicitou a decisão do Parlamento. “[O Parlamento] provou que pode fazer a diferença ao ouvir a voz do público e ao agir independentemente dos poderosos lobistas da indústria”, disse. “Agora esperemos que a Comissão responda prontamente ao seu mandado.”

ATENÇÃO: O vídeo que se segue contém imagens chocantes.


Subscrever a Newsletter

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.