Satao II foi encontrado morto no parque nacional Tsavo, no Quénia, provavelmente por uma seta envenenada.



Um dos mais velhos e maiores elefantes da África foi morto por caçadores furtivos num parque do sul do Quénia. Satao II foi encontrado morto no parque nacional Tsavo, provavelmente por uma seta envenenada. Tinha 50 anos e as suas duas presas com mais de 50 Kg cada eram tão longas que quase tocavam no chão.

Depois desta morte não restam mais do que 25 elefantes com "presas gigantes" em todo o mundo, sendo que 15 habitam no Quénia.
Os elefantes são mortos por causa das suas presas de marfim, que têm como destino principalmente o mercado asiático.

De acordo com a UICN, a população de elefantes da África registou a sua maior queda em 25 anos: ao todo são cerca de 415 000 elefantes, menos 111 000 que durante a última década. São mortos cerca de 30 000 elefantes por ano.

Foto: Satao II (agosto de 2016) | Dex Kotze

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.