Alexandra Rebelo, aluna da UTAD, desenvolveu uma investigação que utiliza fungos para a produção de embalagens biodegradáveis.

Cogumelos

Alexandra Rebelo, aluna de Engenharia Mecânica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu uma investigação que utiliza fungos para a produção de embalagens biodegradáveis e que poderão ser uma alternativa ecológica ao esferovite.
O objetivo do trabalho foi desenvolver um biopolímero totalmente biodegradável à base de resíduos agrícolas e florestais colonizados por fungos.

"Os fungos possuem quitina na sua constituição, proporcionando rigidez ao material, pelo que o biocompósito desenvolvido poderá ser utilizado na produção de embalagens absorventes ao choque, proteção de taludes e vasos para reflorestação", explicou a investigadora.

"Este tipo de trabalhos traz novas ideias aliadas à evolução tecnológica e utiliza materiais mais amigos do ambiente", explicam as orientadoras da tese de mestrado "Caracterização e desenvolvimento da produção de um compósito de origem natural". Esperam que o produto desenvolvido chegue ao mercado, "já que o seu potencial foi já reconhecido por entidades ligadas às áreas da reflorestação e das plantas ornamentais".
O projeto foi premiado pela empresa "Valorfito" e foi selecionado numa candidatura ao programa COHiTEC.

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.