O seu voto pode ajudar a criar um Repair Café em Tomar.



A Officina de Tomar é um projeto em votação (até ao dia 30 de novembro de 2016) no âmbito do Orçamento Participativo de Tomar. A ideia é criar um Repair Café em Tomar, um espaço comunitário e gratuito para a reparação de objetos.
O UniPlanet falou com Ana Margarida Mendes da Officina de Tomar para conhecer melhor este projeto.


UniPlanet (UP): Que tipo de arranjos e atividades se vão realizar na Officina de Tomar?

A Officina pretende consolidar-se pela união e convergência de vários grupos de trabalho: cada um deles direcionado para determinado propósito ou ação mais específicos. A Officina quer atuar como dinamizador local e social, pelo que irá recorrer a dinâmicas que contam ir ao encontro do que possibilita benefício, bem-estar e resiliência às pessoas e ao subsistema em que se integram. Pelo que, como ponto-chave pretendemos apontar para dinâmicas ligadas a questões quotidianas e de utilização recorrente da comunidade, porque são essas que a curto e médio prazo vão proporcionar melhor qualidade de vida e gerar impacto e resultados.

Alguns exemplos de estruturas regulares a implementar são:
O Cabeleireiro Solidário (com possibilidade de corte gratuito); o Forno Comunitário; o Repair Café (onde será possível reparar objetos de utilização diária e de pequena ou média dimensão. Desde pequenos eletrodomésticos, mobiliário, acessórios, vestuário, aparelhos eletrónicos, tudo é passível de ser reparado ou convertido num produto melhor!); a Biblioteca DIY direcionada para o Do It Yourself; a Loja Social Livre (onde se dá o que pode, e se leva o que se precisa); a Despensa Comum (com a disponibilização de produtos secos e frescos, a granel ou avulso, com preferência para locais e biológicos); a CiclOficina (apoio à reparação e auto-manutenção de bicicletas) e a Oficina de Computadores (de apoio à auto-manutenção informática e de incentivo à utilização de Software Livre).
Permitir o acesso livre, num modo de funcionamento em auto-gestão, dos recursos e materiais disponibilizados na oficina da Officina, para que de forma autónoma seja possível a todos os utilizadores terem à disposição os recursos que precisam para realizarem reparações, é outro ponto que pretendemos valorizar.
Mas haverá muito mais... Aconselhamos os leitores a acompanharem a nossa página no Facebook para estarem mais a par das novidades da Officina.


UP: Este projeto pode tornar-se realidade com a nossa ajuda. Como?

Quem quiser apoiar este projeto pode votar na Officina - Proposta nº 7 [no Orçamento Participativo de Tomar] - até ao final do dia de hoje - 30 de novembro. Para saber como votar, podem ir ao site www.cm-tomar.pt, ou ir à nossa página de apresentação do projeto no Facebook: A Officina de Tomar. No 1º tópico encontrarão todas as informações necessárias e de apoio ao processo de votação.

Para além da fase de votação, e independentemente do Orçamento Participativo, a Officina está a procurar pessoas para integrar as várias equipas de trabalho que vão dar andamento e constituir a Officina. Apesar de a mesma ser para já uma proposta lançada em nome individual, tem uma essência colectiva. Aliás, não há forma de constituir a Officina, nem sentido para a mesma, se não for possível a convergência de esforços, quereres e propósitos unidos em prol de metas comuns. Neste sentido, aproveitamos a oportunidade para verbalizar que: a quem quiser integrar este projecto (a ser instalado ao longo de 2017), pedimos que entre em contacto connosco pela nossa página de facebook.




UP: Vivemos num tempo em que 80% dos produtos fabricados vão para o lixo nos primeiros 6 meses de vida. Poderão os Repair Cafés ajudar a contrariar esta tendência?

Nós acreditamos que sim. Por isso a integração de um Repair Café no espaço Officina. Tornar acessível conhecimento e ferramentas que permitam às pessoas repararem os seus objetos, sem para tal, terem a necessidade de gastar mais dinheiro, faz-nos acreditar que são fatores chave que impulsionam as pessoas a optar por tentar em primeiro uma reparação ou reciclagem de um produto que já tenham, em substituição a uma compra de um novo produto. E permite-se deste modo uma ação de sensibilização que depois pode ser trabalhada ao nível de uma reeducação e reestruturação da comunidade a níveis económico, político e social.


UP: Existem mais Repair Cafés em Portugal?

Temos conhecimento de que em tempos houve iniciativas de gerar alguns Repair Cafés por algumas localidades de Portugal, mas não sabemos se estão em funcionamento. Exceto o Repair Café de Lisboa, com abertura ao público este ano, e que nos parece estar a desenvolver um ótimo trabalho.


UP: Como surgiu a ideia para a Officina de Tomar?

O impulso para a Officina surgiu a partir de um sentimento de ausência de um local no centro de Tomar que por um lado permitisse conviver e usufruir do espaço de forma informal, com acesso livre e gratuito; mas por outro, que também fosse promotor de troca de experiências e conhecimentos, de ideias e opiniões, um meio que, a seu modo, se erguesse paralelamente a um propósito educativo informal, e que com o tempo, se tornasse impulsionador de ações com impacto positivo para a comunidade local e sociedade em geral.
A Officina surgiu assim como uma proposta lançada ao Orçamento Participativo de Tomar este ano, e caracteriza-se por ser um projeto muito abrangente e multifacetado que pretende dinamizar e unir a comunidade local, mas também permitir à Cidade ganhar novas âncoras para se lançar no Futuro. Reformular a forma como a Cidade se apresenta e está no mundo é uma das batalhas que a Officina se propõe travar.

Defini-la pelas dinâmicas que pretende desenvolver será limitar este projeto. Contudo, podemos dizer que pretende posicionar-se como um espaço com um forte cunho direcionado para o ofício manual e artesanal. Daí a escolha do seu nome - Officina - para que de forma muito direta fosse possível representar o que entendemos ser, aquilo que melhor a define.
Dentro do trabalho manual e artesanal podemos salientar que por questões sociais, educacionais, económicas e ambientais, pretendemos dar relevo aos vários processos que se associam ao trabalho manual: desde promover a reparação de objetos domésticos danificados, passando pela sua reutilização e/ou reciclagem, e culminando com a criação de novos produtos com o material disponível. No fundo, a ideia chave é que cada pessoa se torne mais autónoma, independente, consciente e responsável pelo impacto que produz no meio.


Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.