Vão ser libertadas 500 mil crias de tartaruga até ao final do ano, na Reserva Nacional de Pacaya Samiria, no Peru.


No passado fim-de-semana, voluntários e autoridades ambientais do Peru libertaram 37 mil crias de tartarugas Podocnemis unifilis na Reserva Nacional de Pacaya Samiria, na região peruana de Loreto. O plano é libertar 500 mil, até ao final do ano, conta a CNN.

Muitos residentes locais juntaram-se à iniciativa para ajudar, ou simplesmente para ver, os filhotes de tartaruga a regressar ao seu habitat natural.

A tartaruga Podocnemis unifilis, conhecida no Peru como taricaya e no Brasil como tracajá, está classificada como ”vulnerável” na Lista Vermelha da UICN (União Internacional para a Conservação da Natureza). Segundo o Instituto de Conservação de Biologia do Smithsonian, estas tartarugas podem chegar a viver 70 anos e, na sua fase adulta, pesar entre 1 e 3 kg e medir até 69 cm de comprimento.

O Serviço Nacional de Áreas Naturais Protegidas do Peru (SERNANP), com a ajuda de voluntários, recolheu os ovos das tartarugas, que tantas vezes são destruídos no seu habitat natural, durante o mês de agosto, cuidando deles ao longo dos 70 dias que demoram a eclodir.

Uma vez fora dos ovos, as crias começaram a ser libertadas no dia 15 de outubro, numa zona protegida da bacia hidrográfica do rio Amazonas, no nordeste do Peru. A operação continuará até ao dia 15 de novembro.
Com este programa, as autoridades esperam assegurar a preservação desta espécie vulnerável.

Fotos: Iván Reyna

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.