Bebidas açucaradas como os refrigerantes vão ter um imposto que chega aos 16 cêntimos por litro.

Coca-cola

O Governo quer taxar as bebidas açucaradas, como os refrigerantes, através do IABA (Imposto sobre o Álcool e as Bebidas Alcoólicas), que até aqui incluía apenas as bebidas alcoólicas. Com esta introdução no IABA, o imposto passará a designar-se 'Imposto sobre o Álcool, as Bebidas Alcoólicas e as Bebidas Adicionadas de Açúcar ou outros Edulcorante'.

Este imposto, apelidado pela indústria como o "imposto Coca-Cola" vai variar entre os 8 e os 16 cêntimos por litro, ou seja, uma lata de Coca-Cola de 330 ml, que tem 35 g de açúcar, ficará 5,5 cêntimos mais cara. A sidra e o hidromel serão também taxados.
Estão isentas deste imposto as bebidas à base de leite, soja ou arroz, sumos e néctares de frutos e de algas ou de produtos hortícolas e bebidas de cereais, amêndoa, caju e avelã e as bebidas consideradas alimentos para as necessidades dietéticas especiais ou suplementos dietéticos.
O imposto deve entrar em vigor a 1 de janeiro de 2017.
O Governo afirmou que a receita obtida através deste imposto "é consignada à sustentabilidade do Sistema Nacional de Saúde", conta o JN.

O chamado fat tax já foi adotado em países como a Finlândia onde, desde 2011, é aplicado aos doces, chocolates e gelados; a França, onde há três anos se paga mais pelas bebidas com açúcar ou adoçantes artificiais e a Hungria onde é aplicada uma taxa adicional sobre as bebidas energéticas, produtos açucarados pré-embalados e aperitivos salgados, segundo o Público.

Veja também:
OMS pede que governos aumentem impostos de refrigerantes para combater a obesidade
Se os Anúncios das Bebidas Gaseificadas Fossem Honestos [Vídeo]

Foto: Darren Whiteside/Reuters
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.