Proposta de lei quer multar empresas suecas que não tenham 40% de representação feminina nos conselhos de administração.



Se a nova proposta de lei passar no parlamento, a partir de 2019, as empresas suecas que tenham menos de 40% de representação feminina nos seus conselhos de administração serão multadas entre 26 mil e 500 mil euros, conta o The Local. A lei irá englobar 280 companhias suecas listadas na bolsa e cerca de 50 empresas do Estado.

"Tem-se assistido a algumas melhorias, cerca de 32% [dos membros do conselho] já são mulheres. Mas as coisas estão a mudar muito lentamente”, disse o ministro da Economia e da Inovação Mikael Damberg da coligação entre o Partido Social Democrata e os Verdes, à agência de notícias sueca TT.
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.