A lei obriga os produtores de alimentos a informar no rótulo se o produto contém ingredientes geneticamente modificados (OGM).

Rótulo non GMO

Assinada a 29 de julho, a lei obriga os produtores de alimentos a informar no rótulo se o produto contém ingredientes geneticamente modificados (OGM).
A lei prevê duas maneiras de se fazer isto: a empresa pode colocar a informação de forma explícita no rótulo, indicando a presença de "OGM" ou através de um símbolo de OGMs — ou, então, pode inserir um código QR, que permite ao cliente rastrear através do smartphone a origem do produto.

O projeto de lei foi chamado por alguns grupos de "DARK Act" (sigla para “Denying Americans the Right to Know”, "negar aos americanos o direito de saber"), uma vez que clientes de classes económicas desfavorecidas terão dificuldade em informar-se através de um QR code.
O governo americano tem dois anos para definir na legislação o que são alimentos geneticamente modificados. Até lá, a rotulagem continua voluntária.
Os EUA são o maior produtor e consumidor de alimentos geneticamente modificados no mundo. O Brasil é o 2º maior produtor de transgénicos, segundo a Exame.

Foto: Damian Dovarganes/AP Photo
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.