Um estudo das Universidades de Warwick e de Queensland descobriu que consumir-se mais fruta e vegetais aumenta o bem-estar psicológico.

fruta

Um novo estudo da Universidade de Warwick, na Inglaterra, e da Universidade de Queensland, na Austrália, descobriu que comer mais frutas e legumes pode aumentar substancialmente os níveis de felicidade das pessoas, mesmo tomando em consideração outros fatores, como variações nos rendimentos e outras circunstâncias pessoais.

O estudo envolveu a análise dos diários alimentares de 12 385 australianos selecionados aleatoriamente durante os anos de 2007, 2009 e 2013. Os investigadores concluíram que as pessoas que consumiam poucos vegetais e frutas e passaram a incluir 8 porções destes alimentos, por dia, na sua dieta sentiram um aumento da satisfação pessoal equivalente a conseguir-se finalmente um emprego depois de se ter estado desempregado. As melhorias no bem-estar psicológico ocorreram em 24 meses.

“Comer fruta e vegetais, aparentemente, aumenta a nossa felicidade num prazo consideravelmente mais curto do que melhora a saúde humana. A motivação que as pessoas têm para comer alimentos saudáveis enfraquece com o facto dos benefícios para a saúde física, como a proteção contra o cancro, surgirem décadas depois. No entanto, as melhorias no bem-estar devido ao aumento do consumo de frutas e legumes são mais imediatas”, declarou o professor Andrew Oswald da Universidade de Warwick.
Os investigadores descobriram que a felicidade aumentava progressivamente por cada porção diária adicional de fruta e legumes até 8 porções destes alimentos por dia.
Os autores consideram que os resultados do seu trabalho de investigação poderiam ser usados por profissionais de saúde para incentivar as pessoas a consumir mais frutas e legumes.

“Talvez os nossos resultados sejam mais eficazes a convencer as pessoas a seguir uma dieta mais saudável do que as abordagens tradicionais”, disse Redzo Mujcic, investigador na Universidade de Queensland.
A equipa acredita que poderá ser possível, eventualmente, ligar este estudo a outras investigações em curso sobre antioxidantes que sugerem uma ligação entre o otimismo e os carotenoides no sangue.
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.