“A Grande Orquestra dos Animais” divulga o trabalho de Bernie Krause que tem percorrido o mundo para gravar os sons da natureza.

Exposição A orquestra dos animais

A Fundação Cartier de Paris organizou uma exposição especial, “A Grande Orquestra dos Animais” (Le Grand Orchestre des Animaux), para divulgar o trabalho do músico Bernie Krause, que durante mais de 40 anos tem percorrido o mundo para gravar os sons da natureza, tanto na terra como no mar. O seu repertório tem 5000 horas.

A fundação francesa convidou também artistas de renome para complementarem a experiência sensorial. Segundo o curador Thomas Delamarre, “o trabalho de Bernie Krause e a ideia de uma grande orquestra animal foi uma fonte de inspiração para a exposição, inclusive para a parte visual. As obras expõem essa ideia de uma grande orquestra e da coexistência entre as espécies, incluindo a coabitação entre os homens e os animais.

Numa sala toda revestida de preto, o público pode ouvir a sinfonia dos animais de Bernie Krause através das paisagens sonoras da África, dos EUA, da floresta amazónica brasileira e dos oceanos.
Em 1971, Bernie Krause estava a trabalhar no álbum All Good Men, quando resolveu incorporar sons de nativos americanos. Entrou em contacto com a comunidade Nez Perce, que nunca tinha tido os seus relatos e sons gravados. Foi lá que aprendeu a escutar a natureza.

A sua pesquisa tem demonstrado que os sons, muitas vezes percebidos como caóticos, são, na verdade, cuidadosamente orquestrados, através de claras interações entre e dentro das várias espécies, como numa complexa peça musical.
“Ouvi o som do ambiente – tinha insetos, pássaros, mamíferos, sapos, todos ao mesmo tempo. (…) Quando voltei para casa, comecei a analisar os sons num espectrograma – ou seja, a ilustração gráfica dos sons. Parecia uma partitura. Não só em relação aos tempos, mas também à frequência.”, conta Bernie Krause.



Na exposição podem ser vistas obras de arte de todos os géneros: multimédia, fotografia, design e até arquitetura, de artistas como os japoneses Hiroshi Sugimoto (fotógrafo) e Ryuichi Sakamoto (músico), o mexicano Mauricio Rocha (arquiteto), o chinês Cai Guo-Qiang (artista-plástico), a brasileira Adriana Varejão (artista-plástica) e a belga Agnès Varda (cineasta). Todas inspiradas no trabalho de Bernie Krause.

A “Grande Orquestra dos Animais” pode ser visitada na Fundação Cartier, em Paris, até 8 de janeiro de 2017.
Visite o site Le Grand Orchestre des Animaux que explica um pouco estas paisagens sonoras.

Fontes: RFI e Económico

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.