Cientistas de uma Universidade da Austrália descobriram um novo aspeto intrigante do mundo vegetal: as plantas parecem reagir ao toque.

heras

Tem-se especulado, no mundo científico, sobre a possibilidade das plantas interagirem com os seres humanos, ou mesmo, entre elas. Vários estudos têm descoberto que elas “falam” umas com as outras – e até se “avisam” de perigos – através do solo. Outro trabalho de investigação sugere que podem, inclusive, possuir uma memória que lhes diz quando florir. Agora, os cientistas da Universidade da Western Australia descobriram um novo aspeto intrigante do mundo vegetal: as plantas parecem reagir ao toque.

Embora não exista nenhum sinal visível de que elas respondem ao toque, os cientistas notaram que ocorria uma mudança na expressão de milhares de genes das plantas, depois de serem borrifadas com água. As mudanças nos genes ocorreram minutos depois das plantas serem borrifadas e só duraram cerca de meia hora. Os cientistas, cujo trabalho de investigação foi publicado na Plant Physiology, determinaram que não existiam “compostos ativos” que pudessem provocar uma mudança, o que demonstra que as plantas mudam em resposta ao ambiente exterior.
Estas mudanças também ocorreram quando pessoas tocaram nas plantas com os dedos ou com pinças ou até quando a sombra caiu sobre elas. Olivier Van Aken, o investigador que liderou a pesquisa, disse que isto pode acontecer naturalmente quando chove, quando o vento passa ou quando um inseto pousa e caminha numa planta.

“Embora as pessoas assumam habitualmente que as plantas não sentem quando lhes tocam, isto mostra que elas são até muito sensíveis ao toque e podem redirecionar a expressão dos genes, as suas defesas e, possivelmente, o seu metabolismo por causa dele”, explica.
Esta resposta das plantas poderá ser uma forma de se protegerem ou de se adaptarem às condições ambientais, com um aumento de luz ou de água.

“Ao contrário dos animais, as plantas não são capazes de escapar de condições prejudiciais. Em vez disso, parecem ter desenvolvido sistemas intricados de defesa de stress para avaliar o seu ambiente e as ajudar a detetar perigos e a responder de forma apropriada. As conclusões [da pesquisa] podem-nos fazer pensar de outra forma sobre as nossas interações com as plantas à nossa volta. Embora as plantas não pareçam queixar-se quando colhemos uma flor, quando as pisamos os ou quando roçamos nelas ao caminhar, elas estão completamente cientes deste contacto e respondem rapidamente ao modo como as tratamos, diz o investigador.

Fonte: Inhabitat
Partilha:

Comentários:

1 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Sem dúvidas. Minha vó tinha muitas plantas, samambaias e vasos na varanda da nossa casa. Ela chegava todos os dias e ia conversar com todas. Jogava água, tocava. Era algo raro de se ver. Quando ela faleceu pouco tempo depois todas elas morreram. Não ficou uma! Mesmo que cuidassemos, jogassemos água, tentassemos fazer com minha vó, aquelas plantas tão bonitas que estavam ali a tantos anos, morreram. Incrível!

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.