Alimentos de pequeno-almoço, até biológicos, acusaram a presença de glifosato, Roundup da Monsanto, herbicida designado possível cancerígeno pela OMS.

Glifosato usado na agricultura

Depois das cervejas e dos vinhos, um novo relatório da Alliance for Natural Health (ANH) descobriu resíduos do herbicida glifosato numa grande variedade de alimentos de pequeno-almoço. A ANH testou 24 produtos comprados em lojas – cereais de pequeno-almoço, pão, ovos, natas, natas de soja, entre outros – e descobriu que quase metade deles continha níveis detetáveis do químico. Que muitos dos produtos que contêm cereais ou soja tenham apresentado resultados positivos não deveria constituir surpresa, mas o que é realmente preocupante é o facto dos produtos biológicos terem dado positivo também – embora os critérios da agricultura biológica impeçam a utilização de pesticidas e herbicidas sintéticos. De facto, a quantidade detetada em ovos biológicos (de galinhas criadas ao ar livre) excedia o limite permitido de acordo com as diretrizes estipuladas pela Agência de Proteção Ambiental (EPA).

Como está presente este químico em produtos de origem animal ou em plantações que não estão diretamente expostas ao herbicida? De acordo com o Dr. Anthony Samsel, citado no relatório, o problema é que o glifosato tem sido usado com tanta abundância no ambiente que está a começar a entrar e a avançar pela cadeia alimentar, um processo conhecido como “bioacumulação”.

Mais conhecido pelo nome comercial da Mosanto “Roundup”, o glifosato foi designado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “potencialmente cancerígeno” e tem sido associado a cancro da mama, tiroide, rins, pâncreas, fígado e bexiga, para além de alguns tipos de leucemia. Samsel escreve no relatório que os próprios estudos da Monsanto mostram que o glifosato causa a destruição do tecido vivo “uma célula de cada vez”. No entanto, só este ano é que a FDA começou a testar a presença de glifosato nos alimentos norte-americanos, décadas depois da introdução do Roundup no mercado, em 1974.
Cada vez mais governos à volta do mundo, incluindo o da França, Holanda, México e Rússia, estão a banir ou a restringir a utilização deste químico controverso enquanto se investiga mais o seu efeito na saúde humana.

Fonte: Inhabitat
Partilha:

Comentários:

2 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Acabei agora de escrever sobre o glifosato, mas não sabia que também tem sido encontrado em produtos biológicos. O que também não é de admirar, basta uma plantação biológica estar próxima de outra onde utilizem estes herbicidas :/ E penso que os polinizadores também possam contribuir para isso, pobres abelhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sónia,
      Ainda não sei qual é a razão dos produtos biológicos apresentarem vestígios do glifosato... Uma outra possibilidade é através da água, pois já foram encontrados resíduos também na água...
      "O resultado é que o glifosato já é detetado em análises de rotina aos alimentos, ao ar, à água da chuva e dos rios, à urina, ao sangue e até ao leite materno" - José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos
      Um abraço,
      Mab

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.