O Templo de Tigres da Tailândia acusado de comércio ilegal, maus-tratos e ligações ao mercado negro, recebeu uma licença de zoo.



O controverso Templo de Tigres na Tailândia, acusado de comércio ilegal destes animais, recebeu uma licença de zoo.

No princípio deste ano, uma reportagem da National Geographic trouxe consigo acusações graves contra este templo, alegando que mantinha os seus 147 tigres em cativeiro e fazia criação deles sem licença, que os animais eram vítimas de maus-tratos e que eram trazidos ou levados do templo ilegalmente, indo acabar no mercado negro.

O templo negou estas acusações e continuou a tentar receber uma licença de jardim zoológico para ganhar custódia legal dos seus tigres – algo que lhe tinha sido anteriormente negado.

O Departamento de Parques Nacionais parece, no entanto, ter mudado de ideias e concedeu ao templo a licença para funcionar como um zoo, o que enfureceu muitos ativistas e conservacionistas. Edwin Wiek, fundador e diretor da Wildlife Friends Foundation Thailand, anunciou que a sua organização iria levar as autoridades a tribunal por terem concedido a licença.

“O que aconteceu é uma clara violação das normas, porque há tantos processos pendentes contra o templo, diz o ativista, acrescentando que as leis da Tailândia não permitem a quem esteja envolvido em tráfico ilegal de vida selvagem, como o Templo de Tigres, obter uma licença de zoo.

A licença permitirá ao Templo manter a custódia dos seus tigres, assim como comprar de novo os que lhe tinham sido tirados pelas autoridades. “Uma vez que as jaulas estejam terminadas, vamos trazer os tigres de volta”, explica um dos advogados do templo. Os tigres poderão, depois, ser exibidos, embora o templo tenha de seguir certas diretrizes para assegurar que os animais estejam bem tratados.

O Departamento dos Parques Nacionais fez uma declaração e assegurou à imprensa de que a licença foi concedida legalmente e de acordo com as normas. O zoo será registado com o nome empresarial de Tiger Temple Co.. O mesmo departamento tinha, anteriormente, retirado 10 tigres ao templo.

Edwin Wiek apelidou a defesa do departamento de “absurda e inacreditável. Acho que, bem, o Departamento dos Parques Nacionais pareceu muito sério no passado em relação a muitos casos”, disse. “Mas porque não estão a agir contra o Templo de Tigres? Sinto-me desapontado com o departamento e com a polícia.”

Fonte: World Animal News
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.