Alguma vez te perguntaste o que é o cheiro químico presente nos produtos novos? Depois de comprar uns pijamas às suas filhas e de notar um cheiro desagradável neles, o realizador Jon Whelan lançou-se numa investigação sobre a indústria química. O resultado desse trabalho – o documentário Stink! – leva-nos numa viagem que passa por laboratórios, fábricas e cadeias de distribuição, visita salas de reuniões das corporações e, até, a Assembleia, questionando a relação estreita entre a indústria química e os fabricantes de produtos e o poder que as empresas têm de nos tirar a capacidade de fazer escolhas informadas sobre os químicos a que estamos expostos através dos produtos que usamos todos os dias.

O cheiro dos pijamas novos que comprou às filhas levou o realizador a contactar o apoio aos clientes da empresa, por telefone, em busca de respostas, que não lhe foram concedidas. Whelan enviou os pijamas a um laboratório, para serem testados, e obteve resultados bastante duvidosos. Decidiu, então, confrontar o CEO da empresa, que admitiu não conhecer todos os químicos usados pela marca.
Partindo dessas chamadas de telefone iniciais, filmadas e apresentadas no documentário, Whelan deparou-se com um facto surpreendente: as corporações não precisam de revelar todos os ingredientes nos rótulos dos seus produtos.

Com a designação de “fragrância” ou “perfume”, muitos químicos em cremes, perfumes, detergentes, etc., não têm de ser revelados porque são vistos como “receitas”, semelhantes ao molho secreto de uma cadeia de fast-food ou à fórmula da Coca-Cola. Deste modo, são vistos como “segredos comerciais” e estão protegidos pela lei.

Isto faz com que não se tenha de revelar a presença de substâncias cancerígenas, ou possíveis cancerígenas, e de ftalatos – compostos químicos com efeito de disrupção endócrina, capazes de alterar o funcionamento das hormonas – nos produtos.



“Pensava que se um produto estava na prateleira de uma loja, isso significava que era seguro. Acreditava, ingenuamente, que se um produto contivesse ingredientes perigosos e tóxicos, ingredientes que podem causar cancro, esse produto seria banido”, confessa Whelan, para quem a morte da esposa com cancro da mama serviu de mais um pretexto para a realização do documentário.

Stink! Expõe, ainda o facto de agências reguladoras e supervisoras, como FDA (Food and Drugs Administration) e a EPA (Enviromental Protection Agency), terem pouco poder frente às corporações químicas no que toca à divulgação da utilização das substâncias químicas. A falta de transparência extende-se ao fracking, que inclui um processo que liberta um cocktail tóxico de químicos. À custa da saúde pública, os ingredientes deste cocktail não precisam de ser divulgados porque são “segredos comerciais”.
Whelan confronta, também, políticos, entre os quais o congressista norte-americano Leonard Lance, que terá recebido 79000$ em contribuições da indústria de medicamentos e de produtos de saúde, entre 2015 e 2016.

O realizador destaca o facto da União Europeia ter banido 11 000 ingredientes e químicos ainda permitidos nos EUA, acrescentando que países em desenvolvimento, como o Egito, têm sido mais proativos neste aspecto do que os Estados Unidos.
Porque se nega a indústria química a revelar todos os seus ingredientes? Revelar componentes cancerígenos e/ou que possam ser considerados perigosos para a saúde poderia fazer os consumidores deixar de usar esses produtos e, talvez, levar à sua proibição.

Pode assistir ao documentário Stink!, de 90 min., na Amazon.

O vídeo que se segue é uma entrevista (em inglês) com o autor do filme, Jon Whelan, no programa BYOD (Bring your own documentary).



Fontes: Earth Island Institute e TreeHugger
Partilha:

Comentários:

1 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Boas!

    Continuo a rir sempre que leio estórias de encantar sobre "cancros"

    Já em 2012 tive que escrever uma mensagem que demonstra o que um animal dito "normal" faz no dia-a-dia e que contribui para a intoxicação do organismo e a natural resposta deste!

    Mas não dá hipótese! Animal Umano sempre acredita que tudo o que de mal lhe acontece é sempre por motivos exógenos!

    E assim irá continuar a ser...

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.