Todos os anos, os portugueses deitam para o lixo 1 milhão de toneladas de alimentos, cada pessoa desperdiça em média 132 Kg de comida por ano.

Comida deitada fora em boa qualidade

O Parlamento Europeu recomendou que os Estados membros reduzam para metade a comida que vai para o lixo até ao fim de 2016.

Todos os anos, os portugueses deitam para o lixo 1 milhão de toneladas de alimentos, ou seja, cada pessoa desperdiça em média 132 Kg de comida por ano. Só as famílias desperdiçam 324 mil toneladas. E, 17% da comida é deitada fora ainda antes de chegar aos consumidores. Um desperdício que em conjunto da UE chega aos 89 milhões de toneladas e para reduzir estes números o Parlamento Europeu recomendou aos Estados membros que reduzam para metade o desperdício até ao fim de 2016.

Segundo cálculos da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) os países industrializados desperdiçam 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos por ano, o que chegaria para alimentar os cerca de 925 milhões de pessoas que passam fome no mundo.


Em Portugal, 2016 foi declarado Ano Nacional do Combate ao Desperdício Alimentar. E, apesar de não sermos os europeus que mais comida deitam fora - na Holanda o desperdício por habitante/ano é de 541 Kg, seguido da Bélgica, com 345 Kg, e do Chipre, com 327 Kg, e Espanha desperdiça um pouco mais do que nós (135 Kg) -, têm-se multiplicado as iniciativas para evitar o desperdício alimentar.

"A maior fatia do desperdício alimentar está nas famílias", por isso é urgente "ensinar as pessoas a fazer uma correta seleção dos alimentos, leitura dos rótulos e aprenderem a olhar para o alimento como sendo passível de ser utilizado por inteiro", explica Helena Real, secretária-geral da APN (Associação Nacional de Nutricionistas).

A declaração do ano nacional prevê medidas como estipular uma percentagem de produtos locais a utilizar por parte das instituições públicas e criar "um programa de ação" que "fixe objetivos e metas para a redução". Bem como ensinar na escola a gestão dos alimentos tornando clara a diferença entre "consumir antes de" e "consumir de preferência até".

Algumas medidas que contribuem para a redução do desperdício alimentar: doações a instituições como Re-Food e o movimento Zero Desperdício (DariAcordar); programas como o Dose Certa; chefes que ensinam a cozinhar-se com “restos”; a venda de fruta feia e lojas que aplicam descontos nos produtos em fim do prazo de validade.



Fonte: DN e ionline
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.