A guerra civil e a caça ilegal no Congo causaram um declínio de 77% da população do gorila-de-grauer, segundo a WCS.

Cria de gorila do Kahuzi Biega National Park

A guerra civil na República Democrática do Congo causou um declínio de 77% da população do gorila-de-grauer. Este primata prosperou outrora na parte oriental do país, com números acima dos 17 000 animais. Uma campanha exaustiva – e perigosa – levada a cabo pela Wildlife Conservation Society e pela organização Fauna & Flora International para estimar o estado atual destes primatas ameaçados, descobriu apenas 4000 destes animais.

Os anos 90 foram tempos conturbados para a África central. Refugiados do genocídio de Ruanda fugiram para o Congo e o conflito que daí se seguiu tem resultado em caça, abate de árvores e extração mineira ilegais.
As milícias que se estabeleceram nas florestas fizeram da mineração o seu negócio e da carne de animais selvagens o seu alimento. E como gorilas de 180 kg são presas mais fáceis do que os primatas mais pequenos que conseguem escapar pelas árvores, os números dos gorilas-de-grauer têm caído a pique.
Para fazer o relatório, o resultado de um trabalho de 4 anos que cobriu uma área de 31 000 km², a equipa esteve sujeita a perigos como raptos, perseguições e, até mesmo, fogo armado. Segundo Stuart Nixon, coautor do estudo, “a não ser que sejam feitos um investimento e um esforço maiores, enfrentamos a ameaça bem real de este incrível primata vir a desaparecer de muitas partes do seu habitat nos próximos 5 anos”.

A equipa sugere uma supervisão mais séria na cadeia de fornecimento global de tecnologia, no que diz respeito ao abastecimento de materiais de zonas livres de conflito para aparelhos eletrónicos, para além de uma divulgação mais acentuada deste problema e uma maior dedicação à preservação dos gorilas.

Fonte: Inhabitat

Gorila-de-grauer
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.