O Animal Welfare Institute (AWI) e a Environmental Investigation Agency (EIA) divulgaram um documento que expõe o facto da indústria das peles na Noruega alimentar os seus animais com carne de baleia. Em 2014, mais de 113 toneladas de carne de baleia (cerca de 75 baleias) foram entregues à Rogaland Pelsdyrfôrlaget, o maior fornecedor de comida para animais criados pela indústria de peles da Noruega.

As organizações estão trabalhar no sentido de pôr fim à caça da baleia.

“A matança das baleias é inerentemente cruel e não é aceitável numa sociedade civilizada”, disse Susan Millward, diretora executiva da AWI. “Assassinar estes seres sencientes e magníficos para alimentar animais que sofrem em fazendas de peles apenas reforça a futilidade desta prática, e demonstra claramente que os noruegueses não precisam da carne destes animais”.
A caça anual às baleias na Noruega, que é fortemente apoiada pelo governo, é conduzida sob uma objeção a uma decisão tomada pela Comissão Internacional de Caça às Baleias (IWC) de 1982. Há uma “cota” de baleias que podem ser mortas, em 2016 é de 880 animais (menor que a de 2015 que era de 1286).
Em 2001, uma resolução do IWC determinou que a Noruega parasse com a caça às baleias e o comércio dos produtos derivados destes animais.

Desde 2012, a Noruega matou mais baleias por ano que qualquer outro país e nos últimos 2 anos superou a Islândia e o Japão juntos.

A exportação de produtos derivados também aumentou, desafiando uma proibição internacional deste comércio, tendo este país enviado 172 toneladas de carne e gordura para o Japão, desde 2014.
“A caça às baleias na Noruega viola a moratória aprovada internacionalmente e continua, apesar do drástico declínio da procura de produtos derivados no país”, declarou Jennifer Lonsdale, diretora da EIA. “A quantidade crescente de derivados exportados da Noruega para o Japão e o uso de baleias para alimentar a igualmente cruel indústria das peles é inadmissível. É hora da Noruega parar com a caça”.
Em 2015, a Noruega exportou 258 toneladas de peles de raposa e 1000 toneladas de peles de vison para os EUA, sendo que a maioria das peles foi importada pela Dinamarca e Finlândia.

Fonte: ANDA
Foto: Norwegian Animal Protection Alliance/Dyrevernalliansen
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.