Modelo com casaco de peles

O Grupo Armani, numa declaração oficial divulgada hoje (22 de março), anunciou que vai deixar de usar peles de animais nas suas marcas (Armani Privé, Giorgio Armani, Emporio Armani e Armani Exchange).
Em parceria com as organizações The Humane Society of The United States e a Fur Free Alliance, a mudança surge após anos de críticas contra o grupo Armani – muitas delas provenientes da PETA, que sempre lutou contra o uso de pelo de coelho e de outros animais na marca.

A empresa de moda italiana já não vai usar peles na coleção outono/inverno de 2016.

“É com muito prazer que anuncio que o Grupo Armani estabeleceu um firme compromisso de abolir o uso de pele animal nas suas coleções”, declarou o estilista Giorgio Armani. “O progresso tecnológico dos últimos anos permite-nos ter uma série de alternativas à nossa disposição, que tornam as práticas cruéis contra animais desnecessárias. A minha empresa está agora a dar um grande passo em frente, que reflete a nossa crescente atenção aos problemas críticos para proteger e cuidar do meio ambiente e dos animais”, completou Giorgio Armani na mesma comunicação.

Espera-se que com a decisão do Grupo Armani muitas outras empresas sigam o exemplo de adotar uma política sem peles de animais (fur-free). P.J. Smith, da The Humane Society of The United States (HSUS), declarou que o grupo “fornece liderança numa indústria que tem ficado para trás das outras quando se trata do bem-estar dos animais. A HSUS chama à atenção de todos os estilistas que em nome da liberdade criativa, fecham os seus olhos para a crueldade por trás da pele”.

Fontes: Noticias ao Minuto e Social 1
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.