A Academia Russa de Ciência está a treinar macacos Rhesus para viajarem e aterrarem em Marte. O treino realizado no Instituto de Problemas Biomédicos inclui usar um joystick e resolver puzzles.
O programa foi criado nos anos 80 e os animais são escolhidos para participar nestes projetos de acordo com a sua inteligência. Os 4 macacos escolhidos foram selecionados pelas suas capacidades cognitivas e pela rapidez de aprendizagem.

Durante os treinos diários, dirigidos por Inessa Kozlovskaya, os macacos passam 3 horas a aprender a controlar o joystick para atingir um alvo identificado por um cursor. Quando completam a tarefa são recompensados com um golo de sumo.
Assim que dominam esta função, começam a ser treinados para resolver problemas matemáticos simples e puzzles. No final do treino, em 2017, os animais deverão ser capazes de realizar, sozinhos, um horário diário de tarefas.

"Aquilo que estamos a tentar fazer é torná-los o mais inteligentes possível, para os podermos usar para explorar o espaço para além da nossa órbita", explica Inessa.
Os investigadores têm esperança de que os macacos consigam depois treinar outros e integrá-los na equipa.
A longevidade média destes macacos é de 25 anos e a viagem para Marte, provavelmente em 2017, durará cerca de 6 meses.

O primeiro macaco a ser enviado para o espaço foi Albert I, em junho de 1948, num míssil militar norte-americano: sufocou e morreu durante o voo. Em 1949, foi enviado Albert II até aos 125 km de altitude e morreu quando o míssil se despenhou no regresso. Em Dezembro de 1949, Albert IV foi enviado para o espaço ligado a máquinas que monitorizavam a sua saúde, morreu com o impacto do regresso. Dois anos depois Yorick viajou com 11 ratos e conseguiu regressar são e salvo, depois de subir a cerca de 80 km de altitude. Ham foi lançado para o espaço em janeiro de 1961. Os seus sinais vitais foram seguidos durante os 16 minutos e 39 segundos do voo, até se ter despenhado no Oceano Atlântico. Assim como a Rússia, os EUA, a França, a Argentina e o Irão já enviaram macacos para o espaço. Em 1957, a famosa cadela Laika foi enviada pela Rússia. Morreu entre 5 a 7 horas depois do lançamento. A causa de sua morte foi, provavelmente, uma combinação de stress sofrido e o superaquecimento, ocasionado por uma falha no sistema de controlo térmico da nave.



Fontes: Sábado, Daily Mail, Gazeta Russa e Wikipédia

Assine a petição “Save Four Endangered Monkeys From Being Forced To Die on Mars” aqui
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.