O documentário “Que Estranha Forma de Vida”, de Pedro Serra e Laura Pazo, viaja por três comunidades, em Portugal e Espanha, que criaram formas de vida alternativas à da sociedade que conhecemos.
Acompanha de perto a “eco-aldeia de Cabrum, recente comunidade no norte de Portugal; a Cooperativa Integral Catalana, em Barcelona, que pratica a autogestão com moeda própria – o Eco; e por fim, a comunidade auto-sustentável – Tamera – situada em Portugal também, com quase 20 anos de existência, centro de pesquisa para a paz, com filosofia de amor livre, em busca da auto-suficiência. Um biótipo para a cura global de consciência. Todos estes projetos alternativos ao sistema, procuram viver em harmonia, com uma visão do futuro baseado na sustentabilidade e na cooperação entre o ser humano, animal e natureza. Buscam soluções aos problemas globais, atuando localmente e prometem tornar os atuais paradigmas, obsoletos.”

A produção do documentário foi totalmente independente e tem sido exibido em festivais nos Estados Unidos, no Brasil, em Inglaterra, na Croácia, na Estónia e na Roménia. No Cinantrop (Festival Internacional de Cinema Etnográfico de Leiria-Lisboa) venceu o prémio revelação.

Fonte: P3
Fotos: Laura Prazo


Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.