Os portugueses consomem 1000 toneladas de bacalhau no Natal e são os maiores consumidores de bacalhau do mundo. O bacalhau faz parte da lista de espécies vulneráveis, situação provocada pela pesca excessiva. Esta situação fez com que a União Europeia esteja a prever a proibição da pesca do bacalhau por 6 semanas durante o período de reprodução no Báltico, entre meados de fevereiro e finais de março de 2016.
Em 2015, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em parceria com o Oceanário de Lisboa, criou um guia de sustentabilidade, no qual o bacalhau ocupa um lugar cimeiro na lista de peixes “a evitar” - espécies vulneráveis, sobre-exploradas ou com métodos de captura/criação com impacto no ambiente.

Além dos problemas associados à diminuição da espécie, o consumo do bacalhau não traz vantagens económicas para Portugal pois é uma espécie pescada ao largo do Canadá e da Gronelândia e o trabalho é feito por empresas estrangeiras, o que não traz rendimento direto para a economia portuguesa.
Segundo a lista do IPMA, deve-se evitar o bacalhau de menores dimensões; o salmão, por ser criado em sistemas de aquacultura intensiva que têm impacto no ambiente; a lula, por estar sobre-explorada e a sardinha com tamanho inferior a 11 cm.

Fontes: Jornal i e Notícias ao Minuto
Partilha:

Comentários:

1 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. "o consumo do bacalhau não traz vantagens económicas para Portugal pois é uma espécie pescada ao largo do Canadá e da Gronelândia e o trabalho é feito por empresas estrangeiras, o que não traz rendimento direto para a economia portuguesa."!

    Se trouxer já é fixe! Mas dado o sistema em que existimos não admira a frase!

    Basta ver os comentários relativos ao genocídio da espécie que etiquetamos de "sardinha"! Sempre que as toneladas autorizadas de morte são atingidas e a matança proibida, todos começam a reclamar!

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.