Sonita Alizadeh, uma rapper do Afeganistão, começou a escrever música após a sua família a ter tentado vender para comprar uma noiva para o seu irmão.
"Estas meninas forçadas a casar perdem precocemente a infância e a esperança", diz Alizadeh.
A rapper, de 19 anos, ganhou projeção internacional em 2014 com o clip musical "Filhas à venda" (Brides for Sale), uma crítica à prática comum no Afeganistão de venderem meninas para casar.

A jovem cresceu no Irão, depois da família ter fugindo da guerra no Afeganistão. Ela tinha apenas 10 anos quando a família a tentou vender para casar. O casamento acabou por não se concretizar, mas aos 16 anos ficou a saber que a família a queria casar com um desconhecido.
Alizadeh gravou o vídeo em protesto contra o casamento planeado e atraiu a atenção internacional para a sua causa. Foi contactada por uma ONG internacional de direitos humanos e obteve um visto de estudante para os EUA, onde vive hoje.

"Quando me mudei para os EUA, não conseguia tirar os rostos dos meus amigos da cabeça - todos machucados e feridos por terem enfrentado as suas famílias", disse Alizadeh.
Sonita Alizadeh, que vai ter a sua vida retratada num documentário, participa no projeto 100 Women (100 mulheres) da BBC, que apresenta as mulheres mais inspiradoras do mundo de 2015. A lista inclui nomes como o da atriz Hilary Swank e o da modelo sudanesa Alek Wek, além de empreendedoras com menos de 30 anos e mulheres inspiradoras com mais de 80 anos.





Fonte: BBC Brasil
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.