Ryan Hreljac, nasceu no Canadá, em 1991.
Quando tinha 6 anos, a sua professora falou-lhe de como viviam as crianças na África. Ficou profundamente comovido ao saber que algumas morriam de sede, pois não tinham água canalizada ou poços para tirar água
Ryan perguntou quanto custaria levar-lhes água. A professora disse-lhe que a organização WaterCan, tinha mencionado que um pequeno poço poderia custar cerca de 70 dólares.
Quando chegou a casa, falou com a sua mãe e pediu-lhe o dinheiro para comprar um poço para as crianças da África. A sua mãe não lhe deu o dinheiro e disse-lhe que tinha de fazer algumas tarefas em casa para ganhar o dinheiro.

Quando Ryan conseguiu os 70 dólares, pediu à sua mãe que o acompanhasse à sede da WaterCan para comprar o seu poço para os meninos na África. Quando o atenderam, disseram-lhe que o custo real da perfuração de um poço era de 2000 dólares. A mãe explicou-lhe que dificilmente conseguiria 2000 dólares a limpar janelas e a aspirar o chão, no entanto Ryan não desistiu. Prometeu que voltaria… e voltou!
Com este novo objetivo, Ryan pediu ajuda às pessoas que conhecia (irmãos, vizinhos, colegas e amigos). Contagiados, todos trabalharam e conseguiram juntar os 2000 dólares e Ryan regressou à WaterCan para pedir o seu poço.

Em 1999, foi perfurado o poço numa vila no norte de Uganda e desde esse dia Ryan não parou de juntar dinheiro e de viajar pelo mundo em busca de novos apoios.
Quando o poço de Uganda ficou pronto, o colégio de Ryan começou a trocar correspondência com as crianças da escola que ficava ao lado do poço. Foi assim, que Ryan conheceu Akana, que lhe contou um pouco da sua vida lá.
Ryan sentiu-se cativado pelo seu novo amigo e pediu aos pais para ir vê-lo. Com um grande esforço económico, os pais pagaram a sua viagem a Uganda e, em 2000, visitou a localidade onde tinha sido perfurado o seu poço.

Quando Ryan chegou a Uganda centenas de meninos formavam um corredor e gritavam o seu nome.
– Sabem o meu nome? – perguntou Ryan ao seu guia.
– Toda a gente que vive num raio de 100 km sabe o teu nome, respondeu.

Hoje em dia, Ryan, tem a sua própria fundação Ryan’s Well que já construiu mais de 400 poços na África!

Fonte: Alavanca Social


Partilha:

Comentários:

2 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. "A sua mãe não lhe deu o dinheiro e disse-lhe que tinha de fazer algumas tarefas em casa para ganhar o dinheiro."

    Belo exemplo de trabalho escravo infantil!

    E depois ainda ficamos admirados por vivermos nesta BELA SOCIEDADE!

    voz
    (I'm ROBOT)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Voz,
      Pois, o pior exemplo de trabalho escravo infantil do século XXI... ;)
      Um abraço,
      Mab

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.