Incêndios na Indonésia estão a provocar um desastre ecológico. Ativos desde o início de setembro, são cerca de 100 mil os focos de incêndio espalhados ao longo de 5000 km de floresta da Indonésia. Os orangotangos da selva indonésia estão famintos e com doenças respiratórias por causa das chamas que devoraram parte do seu habitat e pelos fumos tóxicos que contaminam o sudeste asiático.

A selva da Indonésia é um santuário ecológico, servindo de habitat a inúmeras espécies em vias de extinção, que se vêem assim expulsas daquilo que ainda resta dos seus territórios.

A técnica agrícola de terra queimada, utilizada para limpar e fertilizar as zonas tropicais, e os incêndios intencionais para expandir os cultivos da palma destruíram em alguns meses 1,7 milhões de hectares nas ilhas de Kalimantan e Sumatra. O óleo de palma é o principal produto extraído destas plantações - intensamente usado pela indústria alimentar e a cujo boicote várias associações ambientalistas têm apelado nos últimos anos. As autoridades indonésias já fizeram algumas detenções relacionadas com os incêndios – nomeadamente, de executivos de empresas suspeitas de mandar atear incêndios.

Os fumos persistentes têm causado infeções respiratórias em dezenas de milhares de pessoas, levando ao encerramento temporário de escolas, e provocaram problemas de tráfego aéreo e protestos de países vizinhos, como a Malásia e Singapura.

Fontes: Público e Sapo 24
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.