O Grupo Lobo lançou, no final de Julho de 2012, uma campanha internacional de financiamento colectivo intitulada "Don’t Let our Wolves Become Homeless" (Não Deixe os nossos Lobos Sem Abrigo) para aquisição dos terrenos onde o Centro de Recuperação do Lobo Ibérico tem estado localizado nos últimos 25 anos e onde, recentemente, nasceram 3 crias desta espécie ameaçada.

Ao longo de 25 anos, estes 17 hectares, situados no Gradil, concelho de Mafra, já deram abrigo a "dezenas de animais". "Alguns chegaram em muito mau estado, quer físico, quer mesmo comportamental", descreve Francisco Fonseca (presidente do Grupo Lobo - Associação para a Conservação do Lobo Ibérico e do seu Ecossistema). Neste momento, vivem em cativeiro 8 lobos, 4 nascidos no local. Os restantes provêm de situações de cativeiro ilegal em Portugal e Espanha. "Sabor", "Faia", "Soajo", são alguns dos nomes dos lobos do centro.
O grupo Lobo surgiu em 1985 pela paixão e preocupação de um grupo de amigos para com esta espécie. "Em 1987, nós [Grupo Lobo] sabíamos que ia sair uma nova lei proibindo ter lobos em cativeiro. Até participámos na sua elaboração", informa Francisco Fonseca. "Mas também sabíamos que no nosso país sempre houve lobos em cativeiro e caso não houvesse um sítio para eles irem, acabariam por ser abatidos." O centro do Gradil foi a resposta do grupo para esta lei, pois "era necessário um local para dar um bom resto de vida a estes animais".
Um cidadão inglês que na altura vivia no local ofereceu os terrenos. "Foi uma questão de acaso. Se tivéssemos encontrado algo no Alentejo ou na Covilhã, o projecto ter-se ia desenvolvido naquele local", explica Francisco Fonseca.
Passados 25 anos, os lobos correm agora o risco de ser "despejados" da sua segunda casa. Nestas duas décadas e meia os terrenos foram cedidos sem qualquer custo. Porém, no início deste ano, o proprietário actual comunicou aos responsáveis do projecto que teriam de partir se não comprassem o terreno.

Não desistindo do local, conseguiram chegar a um acordo com o proprietário de forma a pagar o preço em 5 prestações anuais de aproximadamente 30 000 euros. Alguns particulares, amigos do grupo, emprestaram o dinheiro para a primeira prestação, garantindo a permanência do projecto no local, pelo menos durante este ano.
"Está aqui muito empenho, muito esforço, muitos voluntários. Estamos a comprar o terreno, porque não temos hipótese de sair daqui. Vai ser muito difícil recomeçar tudo mesmo que alguém nos ofereça um novo terreno", afirma o presidente do grupo.
O trabalho desta instituição em prol da conservação do Lobo Ibérico tem sido amplamente reconhecido - recebeu diversos prémios nacionais e internacionais - como o prémio BES Biodiversidade e o Ford Motor Company Award.
Neste contexto, o Grupo Lobo está a apelar a todos os que possam apoiar esta causa de forma a angariar 250 000 dólares (cerca de 205 000 euros) até ao dia 28 de Setembro de 2012, tendo ainda só atingido cerca de 40 000 dólares…
Nas redes sociais vários músicos portugueses têm-se pronunciado para manter a "casa" do Lobo Ibérico. David Fonseca, Moonspell, Ana Bacalhau, Uxu Kalhus, entre outros, já manifestaram o apoio à causa.

Fonte: Ecosfera e Naturlink
Partilha:

Comentários:

3 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Adorei o Blog, muito interessante e importante. Vou vir aqui muito.

    ResponderEliminar
  2. Olá Filipa,
    Muito obrigado!
    Fico à espera de a ver por cá muitas vezes! :)
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  3. Já que tens um post do George Carlin:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=X_Di4Hh7rK0

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.