"A maior desgraça de uma nação pobre é que em vez de produzir riqueza, produz ricos. Mas ricos sem riqueza.

Na realidade, melhor seria chamá-los não de ricos mas de endinheirados. Rico é quem possui meios de produção. Rico é quem gera dinheiro e dá emprego.

Endinheirado é quem simplesmente tem dinheiro ou que pensa que tem. Porque, na realidade, o dinheiro é que o tem a ele. A verdade é esta: são demasiados pobres os nossos "ricos". Aquilo que têm, não detêm. Pior: aquilo que exibem como seu, é propriedade de outros. É produto de roubo e de negociatas.

Não podem, porém, estes nossos endinheirados usufruir em tranquilidade de tudo quanto roubaram. Vivem na obsessão de poderem ser roubados. Necessitavam de forças policiais à altura. Mas forças policiais à altura acabariam por lançá-los a eles próprios na cadeia. Necessitavam de uma ordem social em que houvesse poucas razões para a criminalidade. Mas se eles enriqueceram foi graças a essa mesma desordem.

O maior sonho dos nossos novos-ricos é, afinal, muito pequenito: um carro de luxo, umas efémeras cintilâncias. Mas a luxuosa viatura não pode sonhar muito, sacudida pelos buracos das avenidas. O Mercedes e o BMW não podem fazer inteiro uso dos seus brilhos, ocupados que estão em se esquivar entre chapas muito convexos e estradas muito côncavas. A existência de estradas boas dependeria de outro tipo de riqueza. Uma riqueza que servisse a cidade. E a riqueza dos nossos novos-ricos nasceu de um movimento contrário: do empobrecimento da cidade e da sociedade. (...)

Servem-se do erário público como se fosse a sua panela pessoal. Envergonha-nos a sua arrogância, a sua falta de cultura, o seu desprezo pelo povo, a sua atitude elitista para com a pobreza. Como eu sonhava que Moçambique tivesse ricos de riqueza verdadeira e de proveniência limpa!
Ricos que gostassem do seu povo e defendessem o seu país. Ricos que criassem riqueza. Que criassem emprego e desenvolvessem a economia. Que respeitassem as regras do jogo. Numa palavra, ricos que nos enriquecessem."

Mia Couto
Partilha:

Comentários:

7 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Porra pá, fiquei confuso, afinal falamos de que País, se´não era deste país penso que foi pura cuincidencia, porque acentava como uma luva, se estava relaciunado com uma das ex culónias só tenho a ficar mais triste, maus ensinamentos os nossos, só apreenderm as coisas más.

    ResponderEliminar
  2. Talvez as realidades não sejam assim tão diferentes afinal :(

    ResponderEliminar
  3. Também de Mia Couto, vi um vídeo muito interessante: http://www.youtube.com/watch?v=jACccaTogxE São quase 8 minutos, mas acho que vale a pena :)

    ResponderEliminar
  4. É giro que era esse o texto que eu ia publicar primeiro, mas depois acabei por pôr este! Em breve, também o publicarei. Muito obrigado pela visita e pela dica! ;)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Que DEUS ilumine a sua mente para escrever mais

    ResponderEliminar
  6. Que DEUS ilumine a sua mente para escrever mais

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.