A campanha "Comer bem é mais barato" , criada pela Fundação Gulbenkian, Fundação EDP e SIC, com o apoio da DECO e da Associação Portuguesa dos Nutricionistas, tem como objectivo contribuir para mudar atitudes e comportamentos alimentares das famílias portuguesas. Em comunicado, os responsáveis afirmam que "a campanha foi motivada pelos dados que dão conta de uma progressiva deterioração dos hábitos alimentares dos portugueses, que a crise económica e social veio agravar, havendo uma relação directa entre a falta de recursos, o pouco tempo que dispõem e a falta de informação ou de motivação para melhorarem hábitos de consumo e de confecção dos alimentos".

Se as compras forem realizadas com as medidas sugeridas pelos nutricionistas, o valor não excederá 1€. A campanha fornece informações e conselhos que permitem a cada família fazer uma escolha alimentar mais consciente, responsável e económica.

Da campanha fazem parte ‘spots’ televisivos em que serão apresentadas sete refeições completas e equilibradas, do ponto de vista nutricional, pelo valor de 1€ e uma carrinha viajará por 7 cidades portuguesasLisboa, Porto, Coimbra, Viana do Castelo, Santarém, Évora e Faro –, parando em locais públicos para confeccionar as receitas da campanha.

O tipo de cozinha sugerido é o tradicionalmente praticado na bacia do mediterrâneoazeite, frutos e legumes frescos, produtos lácteos, etc. A nutricionista Paula Veloso refere que "não podemos comer só para não ter fome ou para ter apenas energia. A alimentação é apenas o meio para alcançar o fim: fornecer ao organismo todos os nutrientes indispensáveis para que se formem, mantenham ou reparem, as diferentes estruturas orgânicas como células, tecidos e órgãos", ou seja, "a finalidade é nutrir o nosso organismo".
Fonte: AOonline e Ciência hoje

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.