O Ano Internacional de Química (AIQ) foi proclamado pela UNESCO, na sequência da proposta apresentada pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC).

O Ano Internacional da Química 2011 será uma celebração mundial das conquistas da Química e dos seus contributos para o bem-estar da Humanidade. Esta iniciativa tem como objectivo reconhecer a química como ciência indispensável para a sustentabilidade da vida humana e, ainda, aumentar o interesse dos jovens por esta ciência. Com o tema “Chemistry—our life, our future” (Química - a nossa vida, o nosso futuro), serão desenvolvidas várias actividades interactivas, educacionais e de entretenimento para todas as idades. A programação do Ano Internacional da Química será inserida nas atividades da Década da Educação e do Desenvolvimento Sustentável (2005-2014), estabelecida pela ONU. Assim, as actividades programadas para 2011 darão ênfase à importância da química para os recursos naturais sustentáveis.

A química está presente no mais básico gesto do dia-a-dia. As transformações moleculares são centrais para a produção de alimentos, medicina, combustíveis e inúmeros produtos manufacturados e naturais. “Lavar os dentes: é possível graças à química que estudou que componentes misturar, como os misturar e que efeito tem essa mistura”, explicou Carlos Silva, professor da Universidade do Minho. “Esta iniciativa tem especial relevância porque é uma forma de aproximar a química do grande público, que por norma não a entende porque não a conhece”, realçou.

Em 2011, assinala-se também, o centenário da atribuição do Prémio Nobel da Química a Marie Curie, pelo que faz parte dos objectivos celebrar as contribuições das mulheres para esta ciência.

Fonte: Ciência Hoje e Wikipédia

Partilha:

Comentários:

9 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. HIHI AHAH pois claro que só faltava isto...

    Espero que se lembrem de falar do Outro lado da Química... aquela que mata para lucro, e para poluir, e para nos intoxicar... enfim todas estas coisas boas...

    ResponderEliminar
  2. É como uma faca: pode ser usada para descascar uma laranja ou para ferir alguém... Depende sempre da forma como é usada...

    ResponderEliminar
  3. Pois é... o problema neste caso destes ano internacionais de tudo e mais alguma coisa... é que só nos "injectam" com a parte do "descascar uma laranja"...

    ResponderEliminar
  4. Que legal saber que este é o ano da Química!
    Adoro Química, pena que na escola ela é ensinada como um conjunto de regras e cálculos loucos!
    Legal demais o vídeo..
    Ah tbm curti muito a postagem arte com pneus!
    Show!

    ResponderEliminar
  5. Olá Mab
    Sabe, a minha formação original é engenharia química, e serviu bem para compreender, mais tarde, duas coisas: o saber na química é cerca de 99% mal usado (tal como diz o Voz), e as universidades não ensinam o fundamental! Mas o primeiro choque que tive foi uma visita a uma fábrica de produtos alimentares, onde nos demonstraram que dois produtos químicos sintéticos, de cheiro desagradável, cada um deles, quando juntos, na proporção certa cheiravam exactamente a maçã!
    Claro que a química também pode ser usada a favor das pessoas, sem dúvida. Mas o que é preciso é que o mundo deixe de ser movido a lucro e a dinheiro!

    ResponderEliminar
  6. Olá Wiliiam,
    Obrigado pelo seu comentário!
    Também adorei o vídeo! Pois é, é pena na escola tornarem a química tão aborrecida...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Olá Manuela,
    É a velha questão do lucro cego, que acaba sempre por encaminhar as ciências pelos caminhos errados...

    ResponderEliminar
  8. "importância da química para os recursos naturais sustentáveis", isto até poderia ser verdade, mas infelizmente só serve para "tapar o sol com a peneira".
    Como não acredito, pelas provas dadas, neste sistema em que vivemos, estes anos internacionais, só servem mesmo para publicidade enganosa e a química maioritariamente, para se obterem lucros.
    Estranho mundo o nosso...

    ResponderEliminar
  9. Olá Ana Teresa,
    obrigado pelo seu comentário!
    É verdade, talvez estes anos internacionais devessem servir para chamar à atenção para os problemas que, por exemplo, esta ciência enfrenta e cria, para assim traçarem soluções e novas formas de actuação!

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.