São várias as doenças cardiovasculares directamente associadas a uma má alimentação, nomeadamente a aterosclerose, o enfarte do miocárdio e o acidente vascular cerebral, porque uma dieta rica em gorduras saturadas e em colesterol faz com que estas substâncias se depositem nas artérias e passem a fazer parte da circulação sanguínea.

“Se começamos a engordar, isso significa que estamos a dar mais energia ao coração do que aquela que ele necessita”, afirma o cardiologista Fernando de Pádua e acrescenta “uma pessoa não deve pesar mais do que o número de centímetros que tem acima do metro, ou seja, se uma pessoa tiver 1,60m não deve pesar mais de 60kg.”


Dicas para uma alimentação aliada do coração:

  • Comece o dia com um pequeno-almoço rico em hidratos de carbono, privilegiando o consumo de fruta, cereais e lacticínios magros;
  • Procure fazer várias refeições ao dia, nomeadamente a meio da manhã e da tarde;
  • Privilegie o consumo de frutas, legumes, cereais e leguminosas, dada a sua riqueza em fibra e pobreza em gordura;
  • Escolha sempre as variedades de cereais menos refinadas, tais como pão, arroz, massa e cereais em grão, uma vez que são as mais ricas em fibra, vitaminas e minerais;
  • Prefira as variedades magras ou meio gordas de leite, iogurtes e queijos;
  • Limite o consumo de ovos e quando os confeccionar prefira-os cozidos, escalfados e mexidos sem gordura;
  • Realce o sabor dos alimentos utilizando sumo de limão, ervas aromáticas e especiarias e reduza a utilização de sal;
  • Opte por fazer estufados, caldeiradas, assados, ensopados, cozidos ou grelhados, evitando os fritos e elegendo o azeite como gordura a utilizar sempre que necessário;
  • Tenha na água a sua bebida de eleição, consumindo cerca de 2L por dia.

Fonte: Dica
Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.