Quando era pequena queria ser astrofísica. O avô materno foi piloto e o pai, cirurgião, foi médico da Força Aérea quando ela tinha 5 anos. Talvez estes dois factores tenham contribuído para a decisão profissional de Diana Gomes da Silva: ser piloto de aviões. Hoje, é piloto de médio curso na Sata Internacional e voar é a sua rotina normal de trabalho. À paixão dos aviões juntou-se o gosto (e uma certa dose de loucura) pela acrobacia aérea. É a única mulher da Península Ibérica que o faz. E a mais nova do mundo. Tem dois aviões e, com o namorado, piloto da TAP, quer criar uma empresa de acrobacias para participar em espectáculos e festivais aéreos.

Fonte: Lux

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.