O Dia Mundial da Ajuda Humanitária vai ser hoje (19 de Agosto) celebrado pela primeira vez, com uma cerimónia de tributo a todos os trabalhadores humanitários do mundo. A cerimónia, que culminará com um concerto, terá lugar num parque da cidade de Genebra (Suíça) e vai contar com a presença de vários representantes de organizações internacionais.

O director-geral das Nações Unidas, Sergei Ordzhonikidze, o Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, a vice-presidente permanente do Comité Internacional da Cruz Vermelha, Christine Beerli, e a vice-presidente da Fundação Sérgio Vieira de Mello, Annie Vieira de Mello, são algumas das personalidades confirmadas. O evento, pretende chamar à atenção para as necessidades do trabalho humanitário em todo o mundo, reconhecer o trabalho feito e homenagear os trabalhadores humanitários mortos em serviço, vai contar ainda com a participação de outros representantes da área humanitária, que darão a conhecer os seus testemunhos e as suas experiências no terreno.

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU), só no ano passado foram mortos 122 trabalhadores humanitários. O número crescente de vítimas tem preocupado a ONU - afinal, é maior o número de trabalhadores humanitários mortos do que o número de vítimas entre os militares da ONU (os chamados "capacetes azuis").

Segundo a UNICEF, o número total
de pessoas afectadas por catástrofes humanitárias triplicou na última década, chegando a uma média de 211 milhões de pessoas por ano, dos quais as crianças e mulheres representam 65%.

Dos 26 milhões de pessoas que a agência da ONU estima estarem actualmente deslocadas devido a conflitos armados e violência, cerca de 50% são crianças.

A ONU escolheu 19 de Agosto para celebrar o Dia Mundial da Ajuda Humanitária assinalando o dia do atentado em Bagdade (Iraque) que em 2003 matou 22 membros das Nações Unidas, incluindo o chefe da delegação iraquiana da organização, Sérgio Vieira de Mello.

Mobilizados muitas vezes para territórios em clima de guerra para dar apoio às populações, os trabalhadores humanitários têm vindo a ser utilizados como parte da táctica militar. Em países como o Afeganistão, o rapto e o assassinato de voluntários tem sido utilizado pelos talibãs como parte da estratégia de guerrilha.

No dia em que se comemora o Dia Internacional da Ajuda Humanitária, o presidente da AMI (numa entrevista à TSF) considerou que uma solução passa por convencer as populações de que as agências humanitárias não pertencem aos contingentes militares.
«Deixar bem claro no terreno que somos instituições civis e tentar distanciar-se ao máximo da presença militar. Devo relembrar que quando entrámos no Iraque em 2003, as forças militares norte-americanas quiseram que entrássemos em coluna militar a partir da Jordânia o que recusámos», acrescentou.

Fernando Nobre recordou ainda que o bom senso das agências humanitárias também é importante como no caso em que as forças norte-americanas pediram à AMI que ocupasse uma posição na fronteira entre o Irão e o Iraque. «Somos temerários mas não loucos», disse na altura.

Num vídeo disponibilizado no site das Nações Unidas, o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, diz que a data visa recordar os "homens e mulheres que, de forma heróica, vindo de países diferentes, partilham uma mesma condição: a crença de que o sofrimento de uma pessoa é responsabilidade de todos".



Referências: SIC e TSF


Subscrever a Newsletter

Partilha:

3 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. Quero deixar aqui a minha homenagem, a um incansável "obreiro" da PAZ e a toda a sua equipe, pelo altruísmo, pela sua bondade, humildade, trabalho incansável, ao serviço dos mais desfavorecidos,resiliência, carisma e todas as demais qualidades inerentes, a uma personalidade fora do comum, uma das pessoas, que ainda deixa orgulhoso o nosso país!
    BEM HAJA Drº FERNANDO NOBRE pela sua NOBREZA de coração! BEM HAJA a AMI, por tudo o que tem feito.
    Se há alguém merecedor do NOBEL da PAZ, é o Drª FERNANDO NOBRE o orgulho do nosso País!

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo vosso blogue e pela iniciativa tão altruísta.
    Abraço :)

    ResponderEliminar
  3. Obrigado. Sou da mesma opinião, o Dr. Fernando Nobre é uma pessoa incansável na dedicação aos que mais precisam e que, quando é preciso, sabe estar em todo o lado!

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.