A iniciativa "Noite das Estrelas" é promovida pelo Ano Internacional de Astronomia (AIA 2009), e tem como objectivo chamar a atenção dos cidadãos para a necessidade de «poupar energia» e «preservar o céu nocturno».

Hoje, 18 de Julho, a iluminação pública vai ser desligada durante uma hora em vários locais do país como forma de destacar a poluição luminosa e permitir aos cidadãos observar o brilho perdido do céu nocturno.

Os jardins de Belém, em Lisboa, a Praça Parada Leitão, no Porto, e o Pateo das Escolas, na Universidade de Coimbra, são alguns dos locais que ficarão às escuras na "Noite das Estrelas".
Na Madeira, a iluminação pública vai apagar-se na Promenade da Calheta a partir das 22:00, e em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, (Açores) às 22:30 na Praça do Alto das Covas.
Outras cidades que aderiram à iniciativa: Braga (Bom-Jesus), Bragança (Cidadela), Espinho (centro e topo do edifício do centro Multimeios), Moimenta da Beira (Frente ao Pavilhão Municipal Gimnodesportivo), Mira (Jardim Municipal), Faro (Açoteia do centro Ciência Viva).
O evento será acompanhado de observações astronómicas, discussões e espectáculos que visam incentivar os cidadãos a participar.

Pedro Ré, presidente da Associação Portuguesa de Astrónomos Amadores e responsável pela iniciativa, afirma que"são muito poucas as pessoas residentes numa cidade que alguma vez viram a Via Láctea, ou Caminho de Santiago, como era conhecida". "Quando é feito o planeamento da iluminação pública ou dos monumentos, não há um cuidado para, por um lado, poupar energia e, por outro, não perturbar o céu nocturno e deixar que as pessoas observem o que está acima das suas cabeças".

Muitos dos candeeiros usados nas cidades, em vez de iluminarem só para baixo, iluminam também para cima, ou para os lados, e essa luz reflecte-se e difunde-se nas poeiras e fumos em suspensão no ar, tornando o céu nocturno mais claro.
"Se pudermos e quisermos mudar algumas lâmpadas da iluminação pública e ao mesmo tempo mudar mentalidades, estaremos a poupar milhões de euros dos contribuintes".
"Não se trata de retirar iluminação, mas de a tornar mais eficaz", sublinhou.

As celebrações da "Noite das Estrelas" fazem parte do projecto internacional "Dark Skyes Awareness", integrado no Ano Internacional da Astronomia, que é coordenado em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Astronomia, com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, da Agência Nacional Ciência Viva, do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e da Fundação Calouste Gulbenkian.

Terra vista do espaço à noite.

Participe!

Referências: Destak e Lusa

Subscrever a Newsletter

Partilha:

Comentários:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.